Cotação
Dólar 3,2612
Euro 3,836
17/11 16:05
Cuiabá
Carregando...

? ºC

/

Cuiabá (MT), 20 de novembro de 2017 - 14:53

POLÍCIA CIVIL

12/07/2017 14:52

Em 120 dias, DHPP conclui 206 inquéritos de homicídios em Cuiabá e Várzea Grande

Luciene Oliveira | PJC-MT

A primeira meta de 2017 para conclusão de inquéritos de homicídios dolosos da Delegacia Especializada de Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) foi concluída no dia 10 de julho. A meta denominada "Avança DHPP" encaminhou à Justiça 206 inquéritos relatados.

Com prazo de 120 dias, a meta começou no mês de março e finalizou no dia 10 de julho, quando foram registrados 107 homicídios, sendo 77 em Cuiabá e 30 em Várzea Grande. No período de 4 meses, a DHPP realizou 24 operações policiais que resultaram na prisão 29 autores de crimes de homicídios, sendo 3 em flagrante e 26 por mandados de prisão, além do cumprimento de 7 buscas e apreensão domiciliar e 5 conduções coercitivas.

O delegado da Polícia Judiciária Civil, atual titular da DHPP, André Renato Gonçalves, explicou que a meta foi baseada na gestão participativa por resultados. “Os inquéritos, não, necessariamente, são do ano de 2017, temos deste ano, mas também de anos anteriores. Logicamente, os inquéritos de homicídio demandam um pouco mais da investigação e mais trabalho. Mas a Delegacia de Homicídios tem uma ‘expertise’ e por, conta disso, nossa resolutividade é alta. Muitos dos nossos inquéritos são relatados e encaminhados à Justiça com identificação da autoria criminosa”, disse.

Os inquéritos concluídos no prazo de 120 dias estavam distribuídos nos cartórios de 8 delegados, que atuam com uma média e 2 escrivães e 4 investigadores de polícia.”O comprometimento dessa equipe de delegados, escrivães e investigadores é o que faz a diferença. Sem o esforço deles não conseguiríamos esclarecer esses homicídios, para que os autores sejam responsabilizados”, afirmou o delegado.

Entre os casos solucionados, está o duplo homicídio da morte do traficante Edézio Pedro Nascimento Fonseca, de 50 anos, e do mecânico, Jhonne Muller Paranhos de Almeida, de 27 anos, ocorrido na manhã do dia 11 de fevereiro de 2016, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Av. do CPA), nas proximidades do Pantanal Shopping.

As duas vítimas foram encontradas caídas ao chão com os capacetes ainda nas cabeças, e próximo estava uma motocicleta Honda CG, Titan 125, vermelha. As vítimas transitavam na motocicleta pela avenida, quando foram interceptadas por dois homens também em uma motocicleta, de cor preta.

As investigações confirmaram, por meio de provas técnicas, que os autores são os mesmos líderes da organização criminosa que resultou na operação “Mercenários”, ocorrida no dia 26 de maio de 2016.

Os criminosos também foram apontados como autores da morte de Alzira do Nascimento Fonseca, 71, mãe do traficante Edézio Pedro Nascimento Fonseca. No dia 29 de fevereiro, a idosa foi alvejada por diversos disparos de arma de fogo, na porta de sua casa, no bairro Da Manga, em Várzea Grande. Ela foi socorrida e teve o corpo liberado pela equipe da DHPP, no Pronto Socorro de Várzea Grande. Assim como o filho, a mulher também traficava em Várzea Grande.

A autoria das mortes de mãe e filho foi esclarecida depois que os policiais solucionaram o homicídio de Rodrigo Fernando de Arruda, 34 anos, que foi assassinado no dia 13 de março de 2016, no bairro da Manga. Na ocasião de sua morte, a operação Mercenários estava em andamento e este foi o primeiro caso da investigação esclarecido.

A vítima era traficante e trabalhava para Edézio Pedro Nascimento Fonseca e também para sua mãe Elzira, no bairro da Manga, região onde a família Fonseca comandava o tráfico de drogas e mantinha uma espécie de “exército” de bandidos dando proteção ao traficante Edézio.

Segundo as investigações da DHPP, os executores estiveram no local do crime e na hora do crime. As provas técnicas são baseadas na análise do posicionamento de estação de rádio base dos executores, em imagens de câmeras de segurança, provas testemunhais e análises de extratos da comunicação telefônica dos suspeitos nos momentos antes do crime, sem que tenha sido necessário a realização de interceptações telefônicas.

Esclarecimentos

De janeiro a 10 julho de 2017, a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) relatou 229 inquéritos com autoria identificada referentes a homicídios ocorridos em Cuiabá e Várzea Grande, atingindo a média de 71,7% de esclarecimentos. “Esse número é altíssimo em relação a outros estados da federação que têm índice de 10 a 15 %”, afirma o delegado André Renato.

Nos seis primeiros meses foram efetuadas a prisão de 48 criminosos durante 26 operações policiais internas, além de quatro presos em flagrante.

Desaparecidos

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), em seu balanço, fechou o primeiro semestre de 2017 com o registro de 411 pessoas desaparecidas, da quais 356 foram localizadas, resultando em 86% de esclarecimentos de pessoas, em sua maioria, adolescentes e jovens que por algum motivo sumiram de suas residências em Cuiabá e Várzea Grande.

A delegada coordenadora do Núcleo, Silvia Virginia Biagi Ferrari, esclarece que há um alto índices de adolescentes, especialmente, meninas que fogem de casa, por algum tipo de desentendimento com os pais, seja porque não querem estudar, porque estão namorado sem a permissão dos pais ou, simplesmente, porque a mãe tomou o aparelho celular.

Em razão dos motivos, a delegada deve iniciar um ciclo de palestras orientativas em escolas, durante o segundo semestre letivo. "Precisamos conscientizá-los de que são menores de idade e que estão sob a responsabilidade dos pais", disse.


Copyright Rede Brasil Policial. Todos os direitos reservados.

O Brasil Policial, se trata de um Projeto de Comunicação produzido pela “Rede SBCW"  Agência Digital e Desenvolvimento Web, Projeto panteado junto ao INPI e Cartório de Registros e Documentos. É expressamente proibida a sua reprodução do Conteúdo e Plagiar o Projeto desta Rede de Portais da mentora no Território Nacional, sujeito às penalidades previstas pelo CPB por roubo violação de Propriedade Intelectual.

O site Brasil Policial Noticias e o Jornal impresso "Brasil Integração" - Policial, são dois órgãos de Comunicação em regime cooperativistas, são instituições privadas independentes, de acordo com o artigo V Inciso XVIII da Carta Magna e de com o Artigo V da Lei Federal 5.764 de 16 Dezembro de 1971.

Todos os conteúdos veiculados e veinculando nesta franqueada "Brasil - Policial", são de inteira e legítima responsabilidades dos seus autores, proprietários identificado (s) no referido Expediente da mesma.

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo